terça-feira, 12 de abril de 2011

Semana Santa

A Semana Santa e a crucificação de Jesus tinha para Francisco um valor incomparável. Segundo alguns autores, quando Francisco de Assis via uma torre de Igreja com a linda cruz, ele ajoelhava e dizia: Senhor! Obrigado! Porque com a Tua Cruz Remiste o mundo!
Foi a imagem de Jesus na cruz que despertou a sua vocação. Ouviu o Senhor falar: Francisco! Restaura a minha Igreja que está em ruínas!
Hoje um dos grandes símbolos de Francisco é a Cruz de São Damião.
Mas qual o valor da Cruz para nós cristãos?

             Muitas pessoas desprezam o significado da Cruz. Outras tem até aversão ao símbolo da cruz. .
            Precisamsos entender o ensinamento do apóstolo Paulo quando diz que “a palavra da cruz é deveras loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus” (I Co 1. 18).
            Paulo diz que a palavra da Cruz é poder de Deus.
            Infelizmente muitas pessoas desconhecem esse poder.
            Quantos crentes até evitam falar no Cristo crucificado?
            Mas Paulo diz: “nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos”. (I Co 1.23).

            Observe: “pregamos (anunciamos)  a Cristo crucificado”.
            Pregar o Cristo crucificado é anunciar a história da morte de Cristo e mostrar o valor desta morte para a nossa vida.
            A crucificação de Cristo, assim como sua ressurreição, continua sendo o Poder de Deus para nos resgatar do pecado.
Nossa libertação e cura dependem da Cruz de Cristo.
            Diga: Eu dependo da Cruz de Cristo.
            A sexta-feira santa histórica foi um dia de vitória. Lá na cruz o Senhor triunfou e nos deu a salvação. Vamos entender  os motivos da Cruz de Cristo:

1. Na cruz, Deus se revelou ao homem (Mt 27.51).
            Ficamos conhecendo o amor de Deus na cruz.
Ali Ele apareceu para nós. Morrendo por nós. Amando-nos até o fim. Sendo nosso Cordeiro e nosso Salvador. O véu se rasgou na morte de Jesus na Cruz. A cruz abriu acesso ao Pai.
Hoje, pelo sangue derramado na cruz, podemos ir a Cristo e nos alegrar Nele.
            Quando você conheceu realmente o amor de Deus?

2. Na cruz, Deus tomou a iniciativa e entrou em ação a favor do ser humano (II Co 5.19; Lc 12.50).
            A iniciativa pela nossa Salvação veio de Deus.
Ele foi à cruz por nós. Ele nos amou primeiro. Ele quis nos resgatar na Cruz.

3. Na cruz, o Filho de Deus consumou sua identificação com o homem pecador (Is 53.12; Hb 2.11);
            Na cruz Jesus se identifica com a nossa humanidade caída.
Ali era o nosso lugar, mas Ele quis morrer por nós e ser semelhante ao homem pecador.
Essa identificação nos gera vida eterna e cancelamento de todas as maldições.

4. Na cruz, foi oferecido um sacrifício pelos pecados do mundo ( Mt 27.46; I Pe 3.18);
            Todos os nossos pecados foram cravados na cruz. Ali ficaram nossas enfermidades da alma, do corpo e do Espírito.
            Os nossos pecados foram eliminados na cruz.
            Hoje podemos deixar na cruz tudo que nos causa dor e mágoas.
            A cruz é lugar de remissão e perdão de pecados.

5. Na cruz foi oferecido um sacrifício expiatório (II Co 5.14);
            A palavra expiar significa “reparar”; “sofrer no lugar do outro”.
Lá era o nosso lugar. Nós estávamos mortos em nossos delitos e pecados.
            Ele se ofereceu por nós, morreu por nós e nos resgatou.
            Ele tirou nosso pecado e nos declarou santos e justos.
            Quando que você sentiu-se perdoado de todos os pecados?

6. Na cruz o pecador é identificado com Cristo e a Ele unido (Gl 2.20).
            A cruz é o local onde nos unidos a Cristo. Somos unidos no seu sofrimento, na sua dor e na sua ressurreição.
Toda a maldição da lei é cancelada na cruz.
Gl 3.13 diz que o Senhor levou nossa maldição. Somos libertados pela vitória da cruz.
            Estamos mortos com Cristo e assim vencedores.
            Assim disse João Wesley: “Pois o que está morto com Cristo está livre da culpa do passado e do poder do pecado presente, como os mortos estão livres do comando dos seus antigos comandantes[1]”.

7. A ressurreição de Cristo
            A Morte não teve vitória sobre o Senhor Jesus. Ele triunfou na Cruz. O Túmulo ficou vazio. Hoje somos slavos e libertos porque Jesus morreu verdadeiramente e ressuscitou verdadeiramente. Adoramos o Cristo vivo que foi morte por nós e por nós derramou seu precioso sangue.
            O Túmulo vazio é a cosntatação de que Jesus é Deus, é vencedor, é soberano.
            Não existe nenhum obstáculo para aquele que venceu o obstáculo da morte.
            Jesus ressuscitou e triunfou para a nossa vitória eterna. Podemos cantar: Morte, onde está ó morte a tua vitória! (I Coríntios 15.55-57).

            Esta semana é especial. Podemos aproveitar a data para Evangelizar, cultuar e adorar ao Senhor.
            Nossa célula precisa estar sempre na alegria da Páscoa. Nossa mensagem é a Páscoa. Páscoa de Jesus da morte para a Vida.
            A Páscoa dos Judeus celebrava a saída da opressão do Egito.
A nossa Páscoa Celebra a ressurreição do Senhor e a nossa esperança num novo céu e uma nova terra. Celebramos a Páscoa de Jesus. A Nossa vitória!
Podemos falar como Francisco: Senhor Obrigado! Porque pela tua cruz remiste o mundo!


[1] Teologia de João Wesley p. 80
Postar um comentário